domingo, 16 de março de 2014

Portugal, eu te...



Eu queria ter odiado Portugal. Aquele paisinho distante, e ao mesmo tempo tão próximo. Com aquele sotaque, aquela língua, que parece diferente, mas não é.

Eu queria ter odiado, odiado muito. Cada estátua, cada referência a um passado de glórias, de conquistas coloniais, me fazia lembrar do sangue dos meus antepassados, e da exploração da minha terra.

E então vinha um mendigo pedir um euro, me lembrando que tudo não passa disso: Passado.

E então eu andei pelas ruas do Porto, com seus belos casarões e jardins ensolarados. E então eu me deliciei com as leiterias e restaurantes, e tomei vinho do Porto à beira do rio Douro.

E eu conversei em Português. Tropecei em termos, e pronúncia, e esbarrei em desconfiança, mas também em gentileza. E foi estranho ser menos estrangeira em uma terra estrangeira.

E fui feliz. Assim, sem querer, contra a minha vontade. Foi estranho.

Eu queria ter odiado Portugal.

5 comentários:

Bruno Baruque disse...

Belo texto Liu!!!!! Bjos

Roberta disse...

Amei o texto. Amo conhecer os lugares através de seu olhar!
Te amo. Saudades.
Lôra

Ricardo Longo disse...

Tem muito tempo que eu tenho mais simpatia do que mágoa com Portugal. É difícil imaginar essa superpotência colonial que eles foram com a posição mais discreta deles na Europa dos nossos dias. Massa que você gostou, espero um dia conhecer também. :)

Luciano Matos disse...

Portugal é delicioso, o Porto ainda mais. Como qualquer outro país europeu tem uma dívida com o passado, com o mundo. Mas assim mesmo, não dá pra desprezar a beleza e delícia desses lugares. O Porto pra mim é uma das cidades mais interessantes da Europa. Adorei o texto Lívia. BJs

Mila disse...

Ai que saudade de você, do nosso vinho. Tô aqui, como sempre! ;****